Práticas BDSM: Entrevista com a submissa Milena Sandacz

O universo do sadomasoquista ganhou destaque através do livro 50 tons de cinza com o dominador Christian Gray mas será que esse universo é o mar de rosas que ele apresentou a Anastácia, pois é vai muito além do que o quarto vermelho pode nos monstra por este motivo venho pesquisando sobre o tema e para tirar dúvidas de vocês eu trouxe uma entrevista com a submissa Milena Sandacz.

1 - O que é ser submissa?

R: ser submissa é uma escolha, uma escolha libertadora, você entregar o controle que a outra pessoa, confiar nessa pessoa ao ponto de entregar sua mente a ela e saber que será cuidada. Se submissa é você se ajoelhar aos pés do seu dono e se sentir a pessoa mais feliz do mundo por ter a oportunidade de estar ali.

2- A partir de que momento você se descobriu submissa? E qual sua reação?

R: Na verdade eu não me descobri, sempre faz alguns anos que pesquiso e leio sobre a prática BMDS mas nunca pensando em realmente viver. Aí conheci meu Dono conversamos muito mesmo e a resolvi experimentar pra ver se me encaixava. A teoria ê sempre muito diferente da realidade e depois da minha primeira sessão entendir muitas coisas várias delas começaram a se encaixar muitas mesmo...

3- Você e o seu Dom como se conheceram?
R: Nos conhecemos pela internet através de uma entrevista que ele deu para um grupo de livros.

4- Quais práticas mas te excitam?
R: Todas em que eu fiquei submetida a ele, todas que mostrem a minha entregae que estou ali para ele.

5- Em qual momento pensou em desistir?

R: Desistir? Não, não penso nisso. Difícil é às vezes muito difícil mas desistir não é uma opção.

6- Para as mulheres que pretendem se submeter qual é o seu conselho?

R: Calma, paciência, mais calma e mais paciência procurar participar dos grupos e conversar com pessoasque realmente vivem no mundo BMDS. Existem muitas pessoas dizendo o que não são e isso é complicado.

7- Você já leu algum livro estilo 50 tons que você achou que representasse as práticas BMDS?

R: Livros que realmente representam é complicado falar. Cada relação é uma diferente da outra. O BMDS não é uma ciência exata. Mas existe sim livros que retratam bem.

8- O que acha de sessões públicas?  Já fez?
R: Não de exibicionismo nada contra sessões públicas mas eu não gosto. Acho que o real mesmo vivemos entre quatro paredes.

9- Você é uma submissa em todos os sentidos fora e dentro de quatro paredes?

R: Sim sou submissa ao meu Dono em todos os sentidos.

10- A prática de asfixia realmente intensifa o orgasmo ou só é feita para o prazer do Dom?

R: Asfixia é uma das práticas preferidas do meu Dono, é sim é muito intenso, intensifica as sensações inclusive o orgasmo. Mas óbvio que essa é uma prática perigosa e so deve ser feita por quem tem total conhecimento.
11- O que me diz sobre os chicotes? Já se machucou durante as sessões?

R: Não sou muito fã deles prefiro as mãos do meu dono. Não nunca fui castigada seriamente.

12- Você sente prazer em ser submissa?

R: Total prazer. Se não porque faria?

13- Existem as práticas com cera de velas o que me diz sobre ela?

R: Sim as práticas com velas se chama wax play é uma delícia a sensação da cera pingando na pele.

14- Pra encerrar eu gostaria que você que você contasse como a submissão era vista antes de você ser submissa e depois o que mudou?

R: Sempre pensei como as mulheres de antigamente que realmente eram totalmente submissa aos maridos. Não entendia como se sibmetiam desta forma. Hoje vejo que podemos casar os dois mundos. Por exemplo eu sou totalmente independente e tenho um cargo onde direciono pessoas e mesmo assim consigo me submeter ao meu dono talvez porque seja ele.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas